domingo, 4 de maio de 2008

Filosofia como medicina da alma

















Quadro 1: Cícero acusando Catilina de Cesare Maccari
Quadro 2: La Morte di Seneca de Cesena

Encontrei, no livro The Therapy of Desire da Martha Nussbaum, essas duas passagens (citadas abaixo) dos filósofos estóicos Marco Túlio Cícero e Lucio Aneo Sêneca, onde é apresentada uma imagem da filosofia como "medicina da alma". A tradução livre é minha. Tais passagens são uma lembrança importante numa época em que a antiga vinculação da filosofia com o cuidado da alma e o serenamento das paixões anda praticamente esquecida. Bom Proveito!
"There is, I assure you, a medical art for the soul. It is philosophy, whose aid need not be sought, as in bodily diseases, from outside ourselves. We must endeavor with all our resources and all our strenght to become capable of doctoring ourselves" (Cic. TD 3.6)

"Há, eu garanto, uma medicina da alma. É a filosofia, cujo benefícios não precisam provir, como nas doenças do corpo, de fora de nós mesmos. Devemos nos aplicar com todas nossos recursos e toda nossa força para tornar-nos capazes de curar a nós mesmos" (Cícero, Tusculanas, 3.6).

"I am writing down some healthful practical arguments, prescriptions for useful drugs; I have found them effective in healing my own ulcerous sores, wich, even if not thoroughly cured, have at least ceased to spread"(Sen. Ep. 8.2.)

"Estou escrevendo alguns argumentos práticos salutares, prescrições de drogas úteis; considerei-os eficientes para aliviar minhas próprias feridas dolorosas, que, mesmo se não inteiramente curadas, ao menos deixaram de crescer" (Seneca, Epistolas, 8.2)

2 comentários:

Giovani Felice disse...

Oi Flávio

Descobri hoje teu blog...Jóia!
Li um texto da Marta Nussbaum nesse livro. O excelente "Mortal Imortals", que trata da terapia e dos argumentos de Epicuro e Lucrécio para o medo da morte e para apoiar a conclusão de que a morte não é nada para nós.Em parte, concordo.

Flavio disse...

Aí Giovani,

Valeu pelo comentário. Meu blog não chega nem perto do teu, que é interessante e super bem escrito. É mais uma distração pra minha alma que adora vagar...hehe!

Ainda não li o capítulo sobre Epicuro. Estou lendo fora da ordem. Estou agora nos estóicos e gostando bastante.

Arquivo do blog